ABA em casa

Além das atividades inerentes ao “momento de terapia ABA” – atividades estruturadas, com registros específicos para cada estimulação – os pais, cuidadores e outras pessoas diretamente envolvidas no dia a dia do indivíduo com Transtornos do Espectro do Autismo (TEA) também podem auxiliar no processo de intervenção, garantindo a continuidade dessa estimulação. Por exemplo, pais que, orientados por um analista do comportamento, passam a conseguir estimular mais respostas de comunicação de seu filho para pedidos (apontar, falar a primeira sílaba do nome do item desejado, entregar uma foto do item desejado, etc.) estão garantindo estratégias da ABA também nesse contexto. Ou seja, estão facilitando o alcance da quantidade de horas de estimulação necessárias para mais eficiência do processo de intervenção.

Atualmente, existem várias frentes de pesquisa sinalizando a importância do treino parental no processo de intervenção da ABA sobre TEA. Com certeza, debaterei isso em vários posts, mas, no geral, os pesquisadores demonstram aquisições de habilidades por parte das crianças com TEA de forma mais eficiente quando os pais recebem treinamento sobre como lidarem melhor com determinadas situações e necessidades de seus filhos.

Por isso, mesmo fora da mesinha ou do ambiente de “terapia ABA”, as estratégias de intervenção podem e devem ser aplicadas como medida para garantir melhor desenvolvimento do indivíduo com TEA. Que tal começar na sua casa, no seu dia a dia? Fique atento às publicações da página. Falaremos muito sobre isso…